Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/21085
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorBraz, Geraldo Farias-
dc.date.accessioned2019-11-07T18:00:58Z-
dc.date.available2019-11-07T18:00:58Z-
dc.date.issued2018-12-05-
dc.identifier.otherCDD 635-
dc.identifier.urihttp://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/21085-
dc.descriptionBRAZ, Geraldo Farias. Produção orgânica de mudas de alface em diferentes substratos e pulverizadas com biofertilizantes. 25f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agroecologia) – Universidade Estadual da Paraíba, Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, 2018. [Artigo]pt_BR
dc.description.abstractA alface (Lactuca sativa L.) é a hortaliça folhosa mais importante no mundo e no Brasil, sendo consumida, principalmente, in natura na forma de saladas. O presente trabalho de pesquisa-ação foi desenvolvido no Sítio Almeida, município de Lagoa Seca-PB, no período de março, abril e maio de 2018 em dois experimentos. Teve como objetivos avaliar a produção orgânica de mudas de alface em diferentes substratos e pulverizadas com biofertilizante ou não, para tanto dois experimentos foram instalados. No primeiro avaliou-se o desenvolvimento das mudas de alface Elba e Veneranda em bandejas, utilizando seis tipos de substratos: (I) substrato comercial Basaplant®, (II) húmus de minhoca, (III) solo + húmus de minhoca (3:1), (IV) solo + esterco (3:1), (V) solo + esterco + húmus de minhoca (3:0,5:0,5) e (VI) solo + esterco + húmus de minhoca (3:1:1). O experimento foi realizado em esquema fatorial 2x6. A avaliação da massa das plântulas foi realizada 30 dias após a semeadura. No segundo experimento foi avaliada a produção de mudas de alface da variedade Veneranda, sendo realizado em esquema fatorial 2x4, com aplicação de biofertilizante ou não, em quatro substratos [(I) substrato comercial Basaplant®; (II) húmus de minhoca; (III) substrato comercial Basaplant® + húmus de minhoca (1:1); (IV) substrato comercial basaplant® + húmus de minhoca (2:1)], após sete dias da semeadura, foi realizada a primeira aplicação de biofertilizante, sendo repetida por mais duas vezes a cada sete dias. No primeiro experimento a porcentagem de emergência foi de 92% para ambas as variedades, não havendo diferença entre os tratamentos. O húmus de minhoca promoveu o maior desenvolvimento de mudas da cultivar Elba. O substrato comercial e as misturas de solo + húmus de minhoca promoveram maior desenvolvimento da variedade Veneranda. Solo + esterco (3:1) não promoveu o desenvolvimento das plantas. No segundo experimento, verificou-se que a aplicação de biofertilizante não promoveu o crescimento das mudas. O substrato que promoveu o maior desenvolvimento das mudas da variedade Veneranda foi o comercial, sendo que no húmus de minhoca as plantas tiveram o menor desenvolvimento. Conclui-se que o substrato comercial pode ser substituído por húmus de minhoca para a produção de mudas de Elba e pela mistura de solo + húmus de minhoca para a variedade Veneranda; e que a aplicação de biofertilizante não influenciou positivamente o desenvolvimento das mudas da variedade Venerandapt_BR
dc.description.sponsorshipÉlida Barbosa Correapt_BR
dc.language.isootherpt_BR
dc.subjectHortaliçapt_BR
dc.subjectCrescimentopt_BR
dc.subjectDesenvolvimentopt_BR
dc.subjectAdubaçãopt_BR
dc.titleProdução orgânica de mudas de alface em diferentes substratos e pulverizadas com biofertilizantespt_BR
dc.typeOtherpt_BR
Aparece nas coleções:60 - TCC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Geraldo Farias Braz.pdfGeraldo Farias Braz.pdf2.08 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.