Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/21151
Título: "Assim eu quis! Assim eu hei de querer!": a superação das relações de domínio segundo Friedrich W. Nietzsche
Autor(es): Sousa, Bruna Henriques
Palavras-chave: Filosofia alemã
Relações de domínio
Formação de consciência
Eterno retorno
Data do documento: 6-Nov-2019
Resumo: O presente trabalho discute a possibilidade de se pensar uma superação das relações de domínio dentro da filosofia de Friedrich W. Nietzsche, partindo do pressuposto de que a décadence já tomou conta da cultura ocidental, levando os mais diversos âmbitos da sociedade ao niilismo. Para tal, é conduzida uma discussão teórica que parte, primeiramente, da exposição da filosofia hegeliana e sua concepção do papel das relações de domínio na formação da consciência de si no processo fenomenológico, a fim de tornar claro que a finalização da filosofia tradicional a qual Hegel chega não abandonou a dialética entre senhor e escravo, mas apenas a desenvolveu até alcançar uma síntese final, de modo que as relações de domínio permanecem guiando a sociedade. Sabendo que Hegel não alcançou tal superação, o trabalho mostra como Nietzsche chega a uma proposta a este respeito. A superação das relações de domínio defendida a partir de Nietzsche estará baseada no conceito de eterno retorno, e terá seu resultado vislumbrado na figura do Übermensch.
Descrição: SOUSA, B. H. "Assim eu quis! Assim eu hei de querer!": a superação das relações de domínio segundo Friedrich W. Nietzsche. 2019. 27p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2019.
URI: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/21151
Aparece nas coleções:31 - TCC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC - BRUNA HENRIQUES SOUSA.pdf712.85 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.