Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/16793
Título: Variação estrutural da hortelã-miúda proveniente de diferentes condições de cultivo
Autor(es): Bezerra, Ana Carolina
Palavras-chave: Agroecologia
Controle de qualidade
Mentha x villosa Huds
Morfoanatomia vegetal
Data do documento: 20-Out-2016
Resumo: Os tratamentos medicinais com espécies vegetais são amplamente utilizados no Brasil, no entanto, muitas dessas plantas são produzidas com a utilização de agrotóxicos, o que não é recomendado, uma vez que o uso de insumos químicos pode alterar a composição da planta, podendo até provocar efeitos colaterais ou tóxicos. Objetivou-se com esta pesquisa, identificar as variações estruturais de partes aéreas vegetativas de Mentha x villosa Huds. provenientes de diferentes sistemas de cultivo, com o intuito de avaliar se as características estruturais identificadas em cada sistema podem causar influência na qualidade; e além disso, identificar as principais estruturas responsáveis pela produção de princípios ativos nessa espécie. As análises foram realizadas com partes aéreas vegetativas de hortelã-miúda (Mentha x villosa Huds) produzidas nos sistemas convencional, orgânico com manejo, orgânico sem manejo e área urbana. Foram avaliadas as seguintes características morfológicas e anatômicas: comprimento da parte aérea; diâmetro do caule; comprimento, largura e espessura do limbo foliar; espessura da epiderme do caule; espessura da epiderme abaxial e adaxial da folha; diâmetro do feixe vascular da folha. Além disso, foi realizada uma breve descrição da organização morfoanatômica geral da folha e do caule da espécie estudada, dando ênfase à identificação dos tecidos secretores. O sistema convencional proporcionou os maiores resultados na epiderme adaxial (163 μm). Com relação, a espessura da epiderme do caule (101,5 μm) e diâmetro do feixe vascular (262,5 μm), os melhores resultados foram observados no sistema orgânico com manejo. Mentha x villosa possui características estruturais comuns em espécies aromáticas da família Lamiaceae, como a presença de tricomas glandulares e caule formado por quatro pontos principais de xilema. Os sistemas orgânicos com e sem manejo influenciaram positivamente o desenvolvimento das epidermes do caule e folha, bem como da espessura do caule, o que proporciona melhor defesa à planta. Já o sistema convencional aumentou significativamente o diâmetro do caule e a espessura da folha, sendo esta última condição, um fator que pode reduzir a taxa fotossintética.
Descrição: Bezerra, Ana Carolina. Variação estrutural da hortelã-miúda proveniente de diferentes condições de cultivo. 30f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agroecologia) – Universidade Estadual da Paraíba, Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, 2016. [Manuscrito]
URI: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/16793
Aparece nas coleções:60 - TCC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PDF - Ana Carolina BezerraPDF - Ana Carolina Bezerra1.42 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.